quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Dieta Cetogênica


A dieta cetogênica (DC) começou a ser usada com o intuito de tratar crianças com epilepsia refratária que não respondem bem a drogas antiepiléticas. Tal dieta se baseia na restrição de carboidratos, doses baixas de proteínas e altíssimo  consumo de lipídios, o que aumenta a produção hepática dos corpos cetônicos (acetoacetato, acetona e beta-hidroxibutirato) estando a pessoa em jejum ou não.

O potencial cetogênico da dieta encontra-se na produção contínua dos ácidos acetoacético e beta-hidroxibutírico, o que se dá pela oxidação de lipídios na mitocôndria das células hepáticas.   A proporção dos macronutrientes na DC é dado pela equação:

K=potencial cetogênico (ácidos graxos), AK=potencial anticetogênico (glicose), L = lipídios, P = proteínas e C = carboidratos
Quando a razão k/AK ultrapassa 1,5 a cetogênese se instala, o que se confirma pelo exame de urina no qual são encontrados corpos cetônicos (cetonúria).
Seguido o protocolo da DC (dado pela equação – 90% de lipídios e 10% de carboidratos e proteínas ) que começa com um jejum de 24h a 48h, a base de sais minerais e água, ocorre uma cetoacidose induzida, que é a alta presença de corpos cetônicos no organismo e uma diminuição do pH sanguíneo, assim sendo há uma fase de adaptação do metabolismo cerebral estimada em até 20 dias. Então os neurônios começam a usar os corpos cetônicos como fonte de energia ao invés da glicose, já que esta está em baixa oferta pelo pouco consumo de carboidratos. Em termos práticos, manter a dieta cetogênica significa manter uma dieta numa proporção acima de 3:1, ou seja, a cada 3 gramas de lipídeos consumidas deve-se consumir  1 grama de proteínas mais carboidratos.

Essas proporções  podem mudar com o uso de alguns produtos como óleos de Triglicerídeos de cadeia média como principal fonte lipídica, o  que torna a DC mais palatável e menos constipante, já que com eles é possível aumentar os carboidratos e proteínas na DC.
Estudos mostram que a dieta cetogênica pode ter alguns efeitos colaterais como: complicações gastrointestinais,  hipoglicemia , desidratação, acidose metabólica grave (raramente), carência de micronutrientes → complicações a longo prazo.
O uso de corpos cetônicos como fonte de energia nos neurônios, tem como efeito terapêutico a elevação do limiar convulsivo.  Ainda não é certa a causa da diminuição das crises, mas estudos baseiam-se em fatores como: o efeito sedativo e a concentração dos corpos cetônicos, desidratação parcial, mudança no pH sanguíneo e adaptação metabólica do cérebro.
Considerando que a quantidade de ATP, vinda da oxidação de ácidos gordos, aumenta as reservas energéticas e sendo este um fator de proteção contra as crises, estudos revelam que o cérebro infantil tem mais eficiência na metabolização de corpos cetônicos do que os adultos, o que pode ser uma explicação para a melhor aplicação da dieta em crianças epilépticas do que em adultos.
                                                                                            
Postado por: Luana Barros
Referências



Um comentário:

  1. Um pouco de controversias referente a esse tipo de dieta, nos danos posteriores tanto no sistema renal quanto neurologico.
    Parabéns pelo blog

    flavio agazzi

    ResponderExcluir