domingo, 2 de janeiro de 2011

Lipídeos

São substâncias que possuem como característica principal, a insolubilidade em água, mas são solúveis em solventes apolares.
Algumas funções dos lipídeos são:
-reserva energética ( 1 g de gordura -9 kcal);
-armazenamento e transporte de combustível metabólico;
-componente estrutural das membranas biológicas;
-originam moléculas mensageiras, como hormônios e prostranglândinas;
-são moléculas que podem funcionar como um combustível alternativo à glicose, já que são compostos bioquímicos mais calóricos para a geração de energia metabólica através da oxidação de ácido graxo;
- proporcionam isolamento térmico, elétrico e mecânico para a proteção das células e dos órgãos.
No organismo humano, a reserva sob a forma de gordura é bem favorável a célula, pois as gorduras são insolúveis em água e portanto não contribuem para a pressão osmótica dentro da célula e as gorduras são ricas em energia, na oxidação total são liberados 38,13 kJ/g de gordura.
 Todo lipídeo possue ácido graxo em sua estrutura.

Hidrocarbonetos  à  Ácidos graxos  à Gorduras  + Óleos




Ácidos Graxos:
São ácidos orgânicos, a maioria de cadeia longa, com mais de 12 carbonos. Essas cadeias podem-se apresentar na forma saturada (sem dupla ligação) ou insaturada (com dupla ligação).
Quanto mais longa for a cadeia do ácido graxo e menor o número de duplas ligações, menor será a solubilidade em água.
Existem ácidos graxos de cadeia saturada (não contém duplas ligações) por não conterem insaturações possuem mais facilidade de empacotamento intermolecular e na temperatura ambiente são sólidos. Ex.: gorduras de origem animal.

Já os ácidos graxos que apresentam instaurações em sua cadeia, possuem dificuldade de interação intermolecular, e na temperatura ambiente são líquidos. Ex.: óleos de origem vegetal.


Os ácidos graxos insaturados podem ser facilmente convertidos em saturados através do processo de hidrogenação catalítica, processo este utilizado para produção de margarina.

Ácidos graxos (AG’s) essenciais: o ser humano é capaz de sintetizar muitos tipos de ácidos graxos, incluindo os saturados e os monoinsaturados. Porém, os AG’s poliinsaturados, devem ser obtidos pela dieta, pois são produzidos apenas por vegetais. Estes AG’s participam como precursores de importantes biomoléculas, como as protaglândinas, com inúmeras funções sobre a contração da musculatura lisa (involuntária) e modulação da recepção de sinais hormonais.
                                      


Trigliceróis (TAG’s):

São lipídeos formados pela união de três moléculas de ácidos graxos com o glicerol. Os trigliceróis são ésteres do glicerol. Estes ésteres apresentam cadeias carbônicas longas e achatadas ao glicerol.
 A hidrólise ácida do triglicerol forma ácidos graxos correspondentes e álcool.
São conhecidos como gorduras neutras por não apresentarem grupos carregados.
Os TAG’s podem ser chamados de gorduras ou óleos dependendo do estado físico. Na temperatura ambiente: se forem sólidos são gorduras, e líquidos são óleos.
No organismo humano tanto óleos quanto gorduras podem ser hidrolisados pelo auxílio de enzimas específicas, as lípases (fosfolipase A ou a lípase pancreática), que possibilitam a digestão dessas substâncias.
 A principal função dos trigliceróis é a de reserva de energia, e são estocados nas células do tecido adiposo.

                          


Fosfolipídeos:

São lipídeos constituídos por uma molécula de glicerol, duas cadeias de ácidos graxos, um grupo fosfato e uma molécula polar ligada a ele. Os fosfolipídeos são anfipáticos, ou seja, um lado da molécula é hidrofóbico e o outro é hidrofílico.
                                  

São lipídeos de membrana, pois formam uma bicamada lipídica, que são estruturas extremamentes importantes para conter substâncias hidrossolúveis. As membranas celulares são elásticas e resistentes graças às fortes interações hidrofóbicas entre os grupos que separam os componentes celulares do meio intercelular.

                      


Esfingolipídeos:

Assim como os fosfolipídeos, os esfingolipídeos também são lipídeos de membrana, porém eles possuem o álcool no lugar do glicerol. Contém três componentes fundamentais: um grupo polar, um ácido graxo, e uma estrutura chamada base enfingóide (longa cadeia hidrocarbônica derivada do d-erito-2-amino1,3-diol). É chamada de base devido a presença do grupo amino.
Há vários tipos de esfingolipídeos, e são classificados de acordo com o grupo que está conectado à base esfingóide. Se estiver conectado a um açúcar, o composto chamará glicosfincolipídeos. Existe também, ligada a um éster fosfólico, como a fosfocolina no esfingomielina.

                            

Esteróides:

Lipídeos de cadeia complexa onde o colesterol é a substância principal e fundamental para a formação do esteróide. São solúveis em gordura, possuem uma estrutura básica com 17 átomos de carbono organizada em quatro anéis ligados entre si. Todos os esteróides apresentam a estrutura química: CIiclo-pentano-peridro-fenantreno.

                         

Colesterol:

É essencial a vida, pois é um reagente de partida para a biossíntese de vários hormônios (cortisol/aldosterona/testosterona/progesterona), dos sais biliares e da vitamina D. É obtido por meio do colesterol endógeno (a síntese celular) ou pelo colesterol exógeno (pela dieta). O endógeno é sintetizado pelo fígado.
O colesterol é um lipídeo esteróide geralmente de origem animal. Por ser insolúvel em água, para ser transportado via corrente sanguínea liga-se a algumas proteínas e lipídeos em uma ligação não covalente, em um complexo chamado lipoproteína.

                           


Lipoproteínas:
União de proteínas e lipídeos que se unem para melhorar o transporte de lipídeos pelo plasma.
São classificadas através de sua densidade:
LDL (Low Density Lipoproteins) que transporta o colesterol do sítios de síntese (fígado) até as células de vários tecidos.
HDL (High Density Lipoproteins) que transporta o exesso de colesterol dos tecidos de volta para o fígado, onde é utilizado para síntese dos sais biliares.

                         

 

Referências bibliográficas:
I A. Marzzoco, B.B. Torres (1999) Bioquímica Básica 2nd Ed., Guanabara-koogan, Rio de Janeiro
D.L. Nelson, M.M. Cox (2005) Lehninger Princples of Biochemistry. 4th ed. Freeman and Company, New York.

Feito por Rayssa Fachette.

Nenhum comentário:

Postar um comentário