domingo, 30 de janeiro de 2011

DIETA HIPERGLICÍDICA

Muitas pessoas fazem o uso da dieta Hiperglicídica como fonte de energia, diminuindo assim a ingestão de lipídeos, pois acreditam que dessa forma estarão evitando doenças cardiovasculares e doenças relacionadas ao colesterol alto, ou as vezes a dieta é usada apenas para emagrecer. O problema é que normalmente as pessoas não conseguem dosar os alimentos compostos por carboidratos simples como refrigerantes, bolos, biscoitos e sorvetes. Como já vimos no post sobre índice glicêmico os alimentos compostos por carboidratos simples são os quem têm um maior índice glicêmico e a ingestão exagerada deles pode apresentar efeitos adversos graves à saúde. Com a elevação de glicemia ocorrerá o rápido armazenamento de substratos na forma de gordura corporal acarretando em ganho de peso, aumento dos triglicerídeos, e dos níveis de LDL e a diminuição dos níveis de HDL, pois como a oxidação de carboidratos estará em alta, a oxidação de gordura irá diminuir.
O processo que ocorre no organismo com o alto consumo de carboidratos é o da Lipogênese em que a concentração de glicose depositada no sangue ultrapassa o seu limite máximo e o seu excesso será removido pelo fígado, ficando assim depositada na forma de glicogênio. Com a ingestão continua de glicose a concentração do glicogênio vai aumentar no fígado, então seu excedente é jogado no sangue aumentando a concentração de ácidos graxos e esse excesso será removido pelo tecido e armazenado nos adipócitos em forma de gordura. A Lipogênese é basicamente a formação de ácidos graxos a partir da glicose.


Em uma hiperglicemia, a insulina ativa as vias hipoglicemiantes que são a glicolise, glicogenese e via das pentoses, e dessa forma o ATP estará em excesso e assim o ciclo de krebs e a cadeia respiratória estarão bloqueados gerando o acumulo de Acetil-CoA dentro da mitocôndria, esse Acetil-Coa é a estrutura base para a síntese de ácidos graxos, de lá ele vai para o citoplasma em forma de citrato e é convertido pela enzima citrato-liase em Acetil-CoA novamente e é lá que ocorre a síntese de ácidos graxos a partir do Acetil-CoA .





Referência :
Arquivo Brasileiro Endocrinologia e Metabolismo, vol.51 no.3 São Paulo Abril 2007, 
Viviane O. Polacow; Antonio H. Lancha Junior. 
Departamento de Biodinâmica do Movimento do Corpo Humano, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, SP
Postado por Luis Eduardo de Oliveira



2 comentários:

  1. Muito bom o resumo de vcs, parabéns, bem explicado.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ,estão de parabéns!

    Flávio Agazzi

    ResponderExcluir